Luciana Santos admite que PCdoB passe de coadjuvante a protagonista na sucessão municipal de Petrolina em 2012

Acostumado historicamente a ser um partido “de composição de forças”, o PCdoB em Petrolina poderá, enfim, dar as cartas na sucessão municipal de 2012. Nome, para isso, os comunistas já têm e não é mais nenhuma surpresa: o do Magnífico reitor da Univasf, José Weber Macedo.

Em Petrolina, onde participou hoje (13) de um encontro macrorregional do partido, a deputada federal e uma das principais lideranças do PCdoB, Luciana Santos, admite essa possibilidade. Mesmo demonstrando a cautela que sempre marcou o partido, ela deixa claro que prioriza a unidade, mas reforça que dessa vez o partido tem uma opção própria.

“Acreditamos no nosso projeto político de fortalecer o campo das forças. Essa tem sido a estratégia do partido, mas queremos dizer que o PCdoB tem nome para disputar a majoritária”, garantiu Luciana. 

Apesar de enaltecer as qualidades político-administrativas de José Weber que o credenciam para  a disputa,  ela negou ter vindo a Petrolina lançar a pré-candidatura do reitor. “Não estamos lançando pré-candidaturas, ainda é muito cedo. Temos ainda até setembro para as filiações e a construção das chapas proporcionais”, enfatizou, em entrevista ao Blog.

Além disso, a deputada lembrou que o partido não pode abstrair ou relevar o papel das demais lideranças aliadas da cidade, a exemplo do ministro Fernando Bezerra Coelho, do seu colega Gonzaga Patriota e do deputado estadual Odacy Amorim – todos do PSB, legenda que ainda vive as mesmas divergências internas de três anos atrás.

Mesmo com os desencontros dos socialistas, Luciana prega a coalizão de forças: “Não vamos nos arvorar em construir um processo que precisa ser construído com todas as mãos”. Isso não quer dizer, garante ela, que não tenha chegado o momento do PCdoB alçar vôo próprio em Petrolina.

Perguntada se o partido não deveria apostar numa majoritária na cidade, Luciana justificou que os comunistas sempre lançaram candidaturas próprias quando o momento foi oportuno. Lembrou o caso dela própria, que venceu duas vezes as eleições para a prefeitura de Olinda, com e sem aliados. Na mesma situação o partido saiu com seus próprios quadros em cidades como Belo Horizonte, Fortaleza e Porto Alegre – sem contar a disputa pelo Governo do Maranhão, no ano passado. “As candidaturas do nosso partido sempre passaram por uma viabilidade”, ponderou.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Acidente na estrada de Vermelho em Lagoa Grande deixa um morto e outro em estado grave

Líder do assalto ao Banco Central de Fortaleza foge da prisão

Série: População lagoagrandense em maus lençóis