José Reinaldo: Comunicação do PCdoB deve travar a luta de ideias


Após a realização do Encontro Nacional de Comunicação do PCdoB, promovido entre os dias 02 e 03 de abril, em São Paulo, o secretário Nacional de Comunicação do partido e editor do Vermelho, José Reinaldo Carvalho, iniciou uma série de visitas aos estados para difundir e coletivizar as decisões do encontro. 

Carvalho: “Questões da comunicação estão
relacionadas às questões ideológicas
e políticas do partido"
Segundo o secretário, o partido passa por um importante processo de estruturação interna de sua militância, vai desde as direções estaduais aos escalões de base. Dentro deste processo de estruturação partidária, a apresentação das questões da comunicação tem grande importância. “As questões da comunicação estão diretamente relacionadas às questões ideológicas e políticas do partido”, explica Carvalho.

Os encontros estaduais — que reúnem secretários de comunicação, dirigentes, parlamentares e militantes — já foram realizados em Florianópolis (SC) e em Belo Horizonte (MG). Também estão agendadas reuniões no Rio de Janeiro, Bahia, Roraima. Até setembro deste ano, todos estados brasileiros recebem a visita de membros da Secretaria Nacional de Comunicação. A meta é concluir as visitas antes do início das conferências estaduais e municipais do PCdoB.

A principal função dos encontros com os estados é implementar as resoluções do encontro nacional. Elas incluem: ganhar as direções partidárias para o caráter estratégico da luta de ideias e para que essa luta seja feita a partir da defesa da identidade comunista do partido e do seu objetivo socialista; difundir em larga escala as ideias do programa do partido; popularizar e massificar os veículos de comunicação do partido (Portal Vermelho e Classe Operária) e preparar as direções partidárias nos estados para enfrentar a tarefa de, duas vezes por ano, produzir programas de rádio e televisão, que é o que permite a difusão das ideias do partido para milhões de pessoas.

“Além disso, também faz parte das nossas preocupações desencadear um movimento nacional de debate direto com os militantes, seguidores e simpatizantes do partido. É preciso que as direções estaduais e municipais realizem, constantemente, debates e conferências em que os dirigentes partidários de maneira geral – e não apenas aqueles que estão ligados à comunicação – possam discutir com público variados as ideias do partido. Finalmente, também devemos manter nossos militantes permanentemente ativos através das redes sociais e das novas tecnologias de comunicação de massa”.

Estruturação partidária e comunicação

O atual processo de estruturação partidária dá ainda mais visibilidade à Secretaria Comunicação, que atua como porta-voz do PCdoB no sentido de difundir suas posições e opiniões — sejam elas conjunturais ou de projeção mais estratégica. “Vivemos uma situação política muito dinâmica que exige um posicionamento cotidiano do partido. Constantemente o partido é chamado a opinar sobre os temas internacionais, sobre as questões da política nacional e das lutas parlamentar, eleitoral e social. De modo que, se a comunicação não estiver muito azeitada, a opinião pública não vai conhecer nossas opiniões”.

Ao mesmo tempo, a comunicação faz parte de um sistema de organização do partido voltado para a luta de ideias. “O PCdoB é um partido diferente dos demais exatamente pelo seu caráter comunista, que determina sua missão histórica, e de classe, porque ele pretende ser o porta-bandeira dos anseios dos trabalhadores. O partido também tem um programa claro de luta pelo socialismo, que exige uma intensa luta política e social de classes. Dessa maneira, tarefas tão abrangentes quanto as que tem um partido comunista só podem ser bem cumpridas no marco da luta de ideias”.

O secretário exemplifica que na última segunda-feira (23), o Vermelho publicou um editorial sobre a derrota eleitoral sofrida pelo Partido Socialista Operário Espanhol (Psoe), que perdeu as eleições para o Partido Popular (PP). Apesar do nome, o PP representa atualmente as forças mais reacionárias da sociedade espanhola e europeia. Diante de uma situação como essa, explica José Reinaldo, o partido comunista deve analisar qual é o papel da social democracia.

“Há claramente uma luta de ideias entre os partidos comunistas e os partidos sociais-democratas, que pregam a conciliação de classes, a acomodação de interesses entre a burguesia e o proletariado e entre o imperialismo e os povos. Sua função na luta política é afastar qualquer perspectiva revolucionária e de conquista do verdadeiro socialismo. Então, um partido comunista precisa travar a luta de ideias com forças como essas. As mesmas ideias do partido socialista espanhol são esposadas por todos os partidos sociais-democratas do mundo. O Brasil também apresenta essas mesmas correntes que se dispõem a acomodar os interesses do proletariado no capitalismo”.

Ele ressalta que a social-democracia também se encarrega politicamente de administrar os negócios da burguesia e do imperialismo. Quando estão fora do poder, os sociais-democratas fazem a crítica à gestão da direita, mas quando são eleitos promovem as mesmas políticas de direita, com algumas tinturas democráticas, de diálogo e de participação social. “É preciso denunciar essas forças políticas que, se apresentando como de esquerda, fazem a política que convém à direita, ao capital financeiro internacional e ao imperialismo. Isso demonstra a importância de um partido comunista travar a luta de ideias. É através dela que você educa os trabalhadores, eleva a consciência política e coloca uma perspectiva histórica mais abrangente para mostrar que a dimensão da nossa luta não é meramente conjuntural e eleitoral. É uma dimensão muito mais ampla porque diz respeito a todo um processo de transformação política e social que é no fundo um processo revolucionário”.

Conferências

Realizadas a cada dois anos, as conferências municipais e estaduais têm uma importância estratégica na vida do PCdoB. Além de discutirem todo o plano de atividade do partido nos estados e nos municípios, as conferências devem elaborar planos de ação viáveis a cada realidade e eleger as novas direções. “É um momento de grande renovação, promoção, responsabilização, elevação do nível de compromisso e de mobilização dos quadros partidários com as tarefas do partido. Como as conferências são estratégicas, num plano de estruturação, a comunicação assim como os demais setores da vida do partido, entra na ordem do dia dos eventos. Espera-se que as conferências deliberem sobre cada área da vida partidária”.

A realização das conferências também foi debatida durante a primeira reunião deste ano do Comitê Central do PCdoB. O CC orientou que todo o partido se envolva neste amplo processo de estruturação. “Nosso partido está passando por um processo de grande expansão das suas fileiras, resultante desse momento novo que o Brasil vive de democracia, de um governo progressista, possibilidades de êxitos eleitorais e administrativos. A afluência de pessoas em nosso partido é muito grande. O que nos anima a colocar a meta de chegar ao 13º Congresso do partido em 2013 com 500 mil filiados”.

Segundo José Reinaldo o grande desafio é transformar esses filiados em efetivos militantes, fazendo com que assumam tarefas práticas no partido. No caso do PCdoB, além de militante, o objetivo é que eles se organizem nos setores vitais da luta política, de classe e social. “Precisamos de militantes em organizações de base nos setores operários, estudantil e em todas as camadas populares e intelectuais. Onde houver luta, deve haver militantes organizados do PCdoB ajudando o povo a fazer as suas lutas”.

Outra tarefa que envolve todo o partido é a elevação do nível político e ideológico dos militantes. “Queremos militantes que compreendam o alcance histórico de nossa luta. Para isso o partido como um todo está empenhado na formação política, ideológica e na elaboração de cursos. Se tivermos êxito na estruturação do partido este ano, as tarefas políticas e eleitorais de 2012 serão melhor enfrentadas”.

Comitê Central

Na próxima reunião dos dias 4 e 5 de junho o Comitê Central deverá, além de atualizar a conjuntura política e a orientação tática do partido, iniciar a discussão sobre o processo eleitoral de 2012 e ratificar as decisões adotadas nos recentes encontros setoriais: Comunicação, Organização e Sindical. “O Comitê Central vai adotar resoluções, ratificando e enriquecendo as decisões tomadas setorialmente. À medida que aprovadas pelo CC, essas resoluções passam a ter “força de lei” no partido. A reunião também dará um impulso à realização das conferências estaduais e municipais”. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Acidente na estrada de Vermelho em Lagoa Grande deixa um morto e outro em estado grave

Líder do assalto ao Banco Central de Fortaleza foge da prisão

Série: População lagoagrandense em maus lençóis